A verdadeira face da Dior

A verdadeira face da Dior. Artigo de Eleonora de Gray, editora-chefe da RUNWAY REVISTA.

1 Dior Primavera Verão 2024 Pronto para Usar Runway revista

O Legado Dior

No mundo da alta costura, a Dior há muito é associada à elegância, sofisticação e expressão artística. Fundada pelo visionário Christian Dior em 1946, a Maison Dior tem sido um ícone da Alta Costura, com suas criações frequentemente comparadas à beleza das rosas desabrochando. No entanto, os acontecimentos recentes lançaram uma sombra negra sobre esta marca de renome, revelando um lado perturbador que levanta sérias questões sobre o seu compromisso com os princípios democráticos.

O que sabemos sobre a Dior? Christian Dior era filho de um fabricante de fertilizantes para flores, principalmente rosas. Então, quando Christian Dior começou esta maravilhosa aventura, ele fez as mulheres crescerem como rosas, dando-lhes elegância absoluta e flores fabulosas. Todos os seus vestidos de noite lembram flores. E foi assim que a House of Dior começou. Rose tornou-se o poderoso símbolo e identidade desta marca.

Geração após geração os designers passaram esta identidade de uns para os outros, criando peças memoráveis, dignas do grande talento artístico do fundador. Até recentemente… Já se passaram mais de 5 anos, sombras escuras começaram a habitar esta Maison Dior, as pessoas que lá trabalham escureciam. As rosas se tornaram monstros.

Parece um conto de fadas, não é?

Ventos da Mudança

O que você acha que compra quando compra uma bolsa Dior? Você acha que compra luxo, o melhor artesanato e arte. Você realmente? Você compra o conceito. Mas e se você soubesse que por trás desse conceito está escondido algo insuportavelmente feio, você compraria então? Tudo tem energia. Bolsas ou vestidos Dior têm energia. E é muito importante qual conceito ou energia você está vestindo.

Tudo começou há mais de cinco anos, quando mudanças significativas ocorreram na Maison Dior sob a liderança do CEO Pietro Beccari (2018-2023). Embora a mudança possa ser positiva, no caso da Dior, tomou um rumo preocupante.

5 Dior Primavera Verão 2024 Pronto para Usar Runway revista

Media Liberdade em jogo

Um exemplo flagrante do comportamento questionável da Dior a esse respeito gira em torno do tratamento que dá ao media. O media desempenha um papel fundamental numa sociedade democrática, proporcionando perspectivas independentes e diversas sobre questões de interesse público. É uma pedra angular da democracia que garante que o público tenha acesso a informações e opiniões de diversas fontes. No entanto, as ações da Dior levantaram sérias dúvidas sobre o seu compromisso em defender estes princípios.

Sou Eleonora de Gray, editora-chefe da RUNWAY MAGAZINE, posso atestar isso em primeira mão. A Dior demonstrou um desrespeito perturbador pela media veículos, principalmente aqueles que ousam expressar opiniões que não se alinham com a narrativa da marca. Meus artigos críticos sobre a direção criativa da Dior sob a direção de Maria Grazia Chiuri encontraram forte oposição da gigante da moda. Em vez de iniciar um diálogo construtivo, a Dior recorreu a táticas agressivas.

3 Dior Primavera Verão 2024 Pronto para Usar Runway revista

A identidade perdida da Dior

Nunca fui muito fã de Maria Grazia Chiuri. Eu tenho minha própria opinião sobre “ButchDior” A alta-costura, o lado negro de Maria Grazia Chiuri, o feminismo e a feitiçaria, expressos através de camisetas nada lisonjeiras, pontas, rendas italianas e bordados feitos à mão, não agradaram à Dior.

Parece que a Dior não tolerava críticas, mesmo que fossem baseadas em opiniões pessoais e avaliações criativas. Isto levanta questões sobre o compromisso da Dior em promover pontos de vista diversos e em se engajar em um diálogo aberto com o público. media.

Nada do que ela faz corresponde à identidade de Christian Dior. Escrevi vários artigos expressando minha opinião, explicando essa “nova” essência da Dior House. Ah, sim, esses artigos se tornaram populares, as opiniões foram consideradas e compartilhadas. Embora não seja incomum que uma grife receba críticas mistas, a Dior tomou medidas drásticas. Meus artigos atraíram considerável atenção e provocaram discussões, mas parece que atingiram um ponto nevrálgico na Dior.

4 Dior Primavera Verão 2024 Pronto para Usar Runway revista

Supressão de vozes independentes

No início do 2022, RUNWAY A MAGAZINE deu um passo ousado no metaverso, explorando como media poderia adaptar-se à rápida evolução digital paisagem. Esta inovação, conhecida como Runway Web3 Studio, teve como objetivo proporcionar uma experiência de navegação nova e envolvente aos leitores. Todas as questões jurídicas e direitos de propriedade intelectual foram tratados de forma diligente para garantir uma transição suave para esta nova era.

Decidimos seguir em frente e testar nossas forças criativas no metaverso. Pensámos como poderíamos adaptar todas estas tecnologias fabulosas ao media, Como media deve funcionar na nova era da experiência de navegação. Decidimos optar pelas edições metaverso ou Web3. Nós lançamos Runway Estúdio Web3 em janeiro de 2022 e exibimos nossas primeiras publicações Web3 em julho de 2022. 

Você só pode imaginar que todas essas etapas foram cuidadosamente verificadas novamente com nossos advogados, escritórios de propriedade intelectual americanos e europeus, todos os avisos legais e isenções de responsabilidade estavam em vigor. Nenhum erro é permitido quando decidimos dar este gigantesco passo em frente. Criamos algumas primeiras publicações Web3 sobre as tendências Primavera Verão 2023, abrangendo as coleções mais memoráveis, colocando as imagens que recebemos das casas de moda em ambientes 3D. Os mesmos layouts que publicamos na revista, colocamos na Web3. E a coleção Dior fazia parte disso

O envolvimento da Dior nesta história tomou um rumo particularmente alarmante em novembro de 2022, quando contactaram diretamente RUNWAY Provedor de hospedagem da MAGAZINE. O que se seguiu só pode ser descrito como um flagrante abuso de poder e uma ameaça à media liberdade. Dior issueda TAKE DOWN aviso, acusando falsamente RUNWAY REVISTA de violação de direitos autorais, falsificação, parasitismo, e exigiu a remoção de RUNWAY REVISTA Web3 publicações.

6 Dior Primavera Verão 2024 Pronto para Usar Runway revista

Ações alarmantes da Dior

E foi assim que descobrimos o “eu autêntico” da Dior. Estas ações não foram apenas prejudiciais para RUNWAY MAGAZINE, mas também destacou um padrão de comportamento perturbador. Parecia que a Dior estava disposta a fazer todo o possível para abafar as críticas e suprimir o mediaa independência. A retirada da inovação web3 prejudicou contratos planejados e investimentos feitos por RUNWAY REVISTA, colocando em risco o futuro da empresa.

A remoção da nossa inovação web3 cancelou todos os contratos planejados e tivemos que encontrar uma solução para lidar sem esperar o retorno do investimento e seguir em frente.

2 Dior Primavera Verão 2024 Pronto para Usar Runway revista

Defesa dos valores democráticos

Apesar dos desafios colocados pelas ações da Dior, RUNWAY A REVISTA perseverou. As discussões jurídicas lançaram uma sombra sobre a reputação da revista, censurando tudo o que publicamos ou criamos. Mas o compromisso de defender os valores democráticos permanece firme. As ameaças da Dior não dissuadiram a revista de cumprir a sua missão.

Numa sociedade democrática, media a liberdade é fundamental. A capacidade dos jornalistas e media que as organizações operem de forma independente e informem sobre assuntos de interesse público é essencial para manter uma sociedade vibrante e informada. As ações recentes da Dior, no entanto, lançam dúvidas sobre a sua dedicação a estes princípios.

Este episódio preocupante lança luz sobre o forte contraste entre a imagem de luxo e refinamento da Dior e as suas ações quando confrontada com críticas e dissidências. É um lembrete claro de que mesmo no mundo da alta costura, os princípios da democracia, da liberdade de expressão e da media a liberdade nunca deve ser comprometida.

À medida que continuamos a navegar por um mundo em constante evolução media Neste contexto, é crucial responsabilizar as marcas pelas suas ações e garantir que defendem os valores democráticos que sustentam a nossa sociedade.

Estou trazendo essa história para vocês verem a VERDADEIRA FACE DA DIOR por trás da embalagem de luxo! Não sei para quem são essas coleções da Dior hoje, mas definitivamente NÃO É PARA VOCÊ, pois a posição da Dior hoje não corresponde aos valores de humanidade que carregamos. Por trás de cada peça existem energias obscuras, tão bem representadas por criações de Maria Grazia Chiuri. Tem certeza de que deseja usar algo assim?

Links para publicações do EUIPO e da OMPI que descrevem leis da Web2 à Web3 e Web4:

Rumo à próxima transição tecnológica: Comissão apresenta estratégia da UE para liderar na Web 4.0 e nos mundos virtuais

Estudo de caso da OMPI – Da Web 2.0 à Web 3.0 e ao Metaverso