O Carnaval de Veneza

















O Carnaval de Veneza por RUNWAY REVISTA ®

www.destination-venise.net

O Carnaval de Veneza é uma festa tradicional italiana que data da Idade Média. Cores, formas, fantasias e máscaras estão no encontro. Começa 10 dias antes da Quarta-feira de Cinzas e continua até o Mardi Gras.

O Carnaval de Veneza por Runway revista

Foto: Alain Hamon

“O vôo do anjo”

É o evento que abre o carnaval, primeiro domingo do carnaval. Criada em meados do século XVI, “a fuga do Anjo” foi a emocionante fuga de um hóspede secreto da cidade de Veneza, que parte do topo da torre sineira de São Marcos até ao centro da praça. “O vôo do anjo” também é chamado de “vôo turco”. Isso vem de uma lenda segundo a qual um equilibrista turco teria se juntado ao campanário em 16.

O Carnaval de Veneza por Runway revista

Foto: Alain Hamon

O Carnaval de Veneza por Runway revista

Máscaras e fantasias

• A máscara mais antiga do carnaval é o arlequim. Suas origens são medievais. Seu traje consiste em uma máscara preta e um vestido de diamantes multicoloridos. É uma máscara lombarda, originária da Itália e pertencente ao grupo “Commedia dell'arte ”.

• “La Bauta” é uma das fantasias mais comuns do carnaval. O formato particular da máscara garante a possibilidade de comer e beber sem ter que retirá-la.

• Outro traje típico é “la Gnaga”. É composto por roupas femininas e uma máscara de gato. A pessoa carrega uma cesta no braço que geralmente contém uma kitisso. O personagem emite sons estridentes, miados e zombeteiros.

• Muitas mulheres usavam um disfarce chamado “moretta”. Consiste em uma pequena máscara de veludo preto e um chapéu delicado. “La moretta” era um disfarce inconveniente. A máscara tinha que caber no rosto segurando-a com a boca com um botão dentro da máscara.

O uso da máscara foi desafiado muitas vezes ao longo dos anos. Era proibido no século XIV, mas apenas à noite e depois dentro de locais religiosos e durante as festas religiosas, mesmo aquelas que aconteciam durante o carnaval. O objetivo era restaurar a moralidade e os bons costumes que os portadores de máscaras perderam por serem anônimos. A partir de 1776, quando a máscara foi proibida nas casas de jogo, as mulheres tinham que usar “taborro”, “volto” ou “la bauta” para ir ao teatro.

O Carnaval de Veneza por Runway revista

 O Carnaval de Veneza por Runway revista

 

O Carnaval de Veneza por Runway revista

Foto: Alain Hamon

 

O Carnaval de Veneza por Runway revista

 

O Carnaval de Veneza por Runway revista

Foto: Alain Hamon

O Carnaval de Veneza por Runway revista

#runwaymagazineevent #carnavalofvenice #fantasias #mascaras #oficialrunwayrevista #eleonoradegray #editorinchief #paris #newyork #los angeles #runwayrevistasnews #runwayrevista